Duas coisas que gosto em Figueira de Castelo Rodrigo (eram para ser três, mas enfim…)

A chegada não foi fácil. Os primeiros tempos ainda piores. Ainda há coisas que são dificeis. Mas o concelho de FCR tem algumas joias. Cá estão duas delas:

A Reserva da Faia Brava. Como não podia deixar de ser, tinha de ser a primeira. Onde se podem ver Grifos, águias e outros abutres de perto. Mesmo de perto. Que se sentem antes de se verem. A paisagem abrupta do Rio Côa, cujam margens aqui formam escarpas altas, onde estas grande aves fazem os seus ninhos e encontram a tranquilidade necessária para criar. Os cavalos garranos que percorrem a Reserva em manadas quase selvagens. Os blocos de granito, cobertos de liquenes e musgos de Inverno, grandes e imponentes na paisagem árida do Verão. A Faia Brava foi inovadora em ser a primeira (e única até ver) Área Protegida de propriedade e gestão privada, neste caso da Associação Transumância e Natureza. Vale a pena uma caminhada, um passeio de bicicleta, uma manhã no abrigo fotográfico ou um dia à procura de aves e outros bichos.

O Cantinho Café em Castelo Rodrigo. Tem uma tão bela selecção de cervejas artesanais portuguesas que dá vontade de lá ir todas as semanas. E são escolhidas a dedo e com muito gosto pelos donos, o João e a Lena, que fazem questão de conhecer os mestres cervejeiros de cada uma delas. Para quem não é fã de cerveja (apesar de haver uma para cada gosto), tem lá o Licor do Poeta. Receita caseita de um licor cremoso, perfeito servido fresco depois de uma jantar de Verão. Têm um terraço fenomenal nas traseiras, com uma vista tão grandiosa como a simpatia dos donos. Se tiverem por perto, passem por lá.

E por fim, porque não três?
Os restaurantes do concelho têm alguma aversão a comida regional. Ou então ela simplemente deixou de existir aqui. Desde que para aqui vim que uma minhas principais queixas tem sido que todos os restaurantes só sabem fazer bifes e bacalhau. Felizmente existia o Lagar, em Escalhão (a maior freguesia de FCR)! Renovou e refez muitos dos pratos regionais, e sempre que lá fui saí bem satisfeito e com a estômago a sorrir! Mas fechou… segundo ouvi o dono voltou para Lisboa, se onde era. A região ficou mais pobre nesse dia. E uma lista de três coisas passaram a duas… Felizmente em Barca d’Alva continuam a servir as migas de peixe e peixes do rio fritos durante o Verão. Valha-nos meio ano.
Anúncios
Esta entrada foi publicada em Escrita, Natureza, Portugal com as etiquetas , , , , , , , , , , . ligação permanente.

And what is your opinion?

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s